Gena, uma história de superação

Maria Eugênia Bispo, jornalista de 31 anos e com muita história pra contar. Há pouco mais de quatro anos, “Gena” como é chamada pelos amigos, sofreu uma queda na academia de crossfit, enquanto fazia abdominais pendurada em uma barra. Ela quebrou uma vértebra da coluna lombar em cinco pedaços e perdeu os movimentos das pernas depois do acidente. Os médicos disseram a Gena que voltar a andar séria algo quase impossível. Mas ela superou todas as expectativas. Passou por diversas cirurgias e teve força de vontade para voltar a andar.

Depois de um mês internada, a jornalista voltou para casa de cadeira de rodas e começou as seções de fisioterapia. Aos poucos foi recuperando os movimentos, o que surpreendeu a todos, principalmente os médicos que cuidavam diariamente dela. Depois de alguns meses ela passou da cadeira de rodas para o andador e começou a dar alguns passos sozinha.  Hoje, Gena já consegue andar sozinha, voltou a praticar crossfit e fazer tudo que gosta, sempre acompanhada de um profissional.

Gena tem algumas tatuagens pelo corpo e disse que uma representa muito a vida dela é a frase “Resiliência, que pra ela significa que no momento que os problemas acontecem você pode superar aquilo e levar as dificuldades como aprendizagem. Eu aprendi a ser melhor e em determinado momento superei.”

Em 2017, Maria Eugênia se tornou a primeira pessoa com deficiência física motora a ter permissão para ingressar na Academia de Polícia Civil de Pernambuco. Ela tinha sido eliminada erroneamente do concurso, na prova física e na etapa dos exames médicos. Gena recorreu e ganhou por decisão unânime do Tribunal de Justiça de Pernambuco. Maria Eugênia se orgulha de contar um pouco de sua história e servir de inspiração para tantas outras pessoas com deficiência

comments

Add comment

Your comment will be revised by the site if needed.