Qual é a melhor idade para começar a cuidar da minha pele?

Por | 23/10/2018

O envelhecimento da população é um dos fenómenos demográficos que mais preocupa as sociedades modernas. Desta forma, para não se preocupar com os problemas de envelhecimento no futuro, o ideal é que a pele receba os primeiros cuidados o mais cedo possível, ou seja, ainda na infância.

Não estamos querendo dizer que é necessário tratamentos estéticos em uma criança, mas sim que é importante cuidar, ensinar a criança a lavar o rosto e a utilizar protetor solar. O protetor solar é um dos maiores aliados da pele tanto para prevenir o envelhecimento quanto em relação ao surgimento do câncer de pele.
Mas agora que já se chegou à idade adulta, o melhor momento para cuidar da sua pele é agora. Não continue perdendo tempo nos cuidados com sua pele. Não importa se você tem 25, 30, 40, 60 anos, o essencial é que você perceba a importância de manter estes cuidados e comece a tratar a sua pele desde já.

Sabe como funciona o envelhecimento da sua pele?

O envelhecimento é um processo de degradação progressiva e diferencial que ocorre em todos os órgãos e com a pele não é diferente. O envelhecimento cutâneo pode ser Intrínseco ou cronológico.

Cronológico: É aquele que surge com a idade influenciado por fatores genéticos, que leva a modificações no tecido colágeno e elástico com o passar dos anos. A pele perde o brilho, aparecem rugas, torna-se mais áspera e flácida.

Extrínseco: aquele que surge influenciado por fatores externos tal como o cigarro, a poluição, hábitos de vida e predominantemente, o fotoenvelhecimento decorrente da exposição solar repetida ao longo dos anos, este interage com o envelhecimento cronológico acelerando sua evolução.

Na verdade, o fotoenvelhecimento é responsável pela maior parte das alterações na pele envelhecida, como manchas escuras, aspereza da pele, rugas, sardas marrons e sardas brancas nas áreas expostas, dilatação de vasos sanguíneos. Exposição solar crônica também é responsável pelas alterações que favorecem o desenvolvimento dos cânceres de pele.

Como podemos amenizar esses sinais?

Existem, atualmente, alguns ingredientes e metodologias eficazes na melhoria de sinais de envelhecimento, designadamente, as vitaminas A, E e C, coenzima Q10, retinoides, compostos fitoterápicos como os alfa-hidroxi-ácidos (AHA), derivados da soja e produtos de origem vegetal com atividade anti-envelhecimento. Quando administradas as formas ativas de vitamina E estas atuam, opostamente aos retinóides como antioxidantes, promovendo uma redução da oxidação da pele, que está na base de todo o processo de envelhecimento cutâneo.

Já os óleos vegetais com atividade antienvelhecimento possuem capacidade hidratante e emoliente, muitas vezes associado a cremes hidratantes, alguns são também ricos em proteínas que possuem ação inibidora da elastase e estimuladora da síntese de tropoelastina. Desta forma é possível inibindo a elastase, prevenir a destruição das fibras de elastina (processo associado ao envelhecimento cutâneo).

Alguns possuem também vitamina F, que é facilmente encontrada nos óleos alimentares (de trigo, soja ou milho, por exemplo) nos ácidos graxos insaturados, pode revelar vantagem da utilização na pele. Estes ácidos graxos insaturados existem normalmente como constituintes da estrutura da pele, podendo a sua alteração devido à idade, estar implícita com a alteração da estrutura lipídica da pele.

O ingrediente mais importante de todos na prevenção, principalmente do fotoenvelhecimento, é sem dúvida o filtro solar. Este, paradoxalmente ao que é transmitido na sociedade, deve ser usado em dias de sol e chuva pois a emissão de raios UV é diária (a intensidade da radiação UV é constante ao longo do ano), sendo o contato destes com a nossa pele igualmente diário. Os raios UV são os principais indutores de alterações a nível da pele, conduzindo à produção de radicais livres de oxigênio e a alterações morfológicas.

Tags
Deixe um comentário